Alimentos congelados podem ser saudáveis?

Os alimentos de preparo rápido e fácil, como enlatados, processados, embutidos e, por fim, os congelados. A escala de consumo cresceu rapidamente e uma indústria se montou ao redor. Você conhece como é feito esse tipo de produto?

O padrão alimentar da população brasileira,vêm sofrendo mudanças  ao longo dos anos, principalmente após a década de 1990, devido as transformações sociais e econômicas ocorridas no país.

São diversos fatores que influenciam, como a participação crescente da mulher no mercado de trabalho e o êxodo rural. A rotina do trabalhador passou a ser afetada mesmo nos momentos de “folga” e, por consequência, a alimentação passou a mudar.

Como é o congelamento

Congelar um alimento é um dos melhores métodos para manter as características e propriedades de um alimento a longo prazo. Quando passam por higienização, manipulação e processamento adequados podem preservar o sabor e aroma semelhantes ao alimento fresco.

De acordo com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), todo alimento tem o risco de contaminação entre a recepção da matéria-prima até a distribuição final. Existe uma resolução para regulamentar esse processo, a RDC nº 216/2004.

No caso do congelamento, as boas práticas indicam a redução de 60º C para 10º C em até 2 horas. Depois disso, deve ser congelado em temperatura igual ou menor do que -18º C. O resfriamento de alimentos cozidos, se feito temperatura ambiente, aumenta o risco de contaminação.

A indústria

Cada vez mais aumenta a variedade e a diversidade dos produtos congelados disponíveis aos consumidores, tornando as escolhas por esse tipo de alimento uma possibilidade para todas as refeições, do café da manhã ao jantar.

As polpas de fruta, por exemplo, são nutritivas e boas opções para manter o consumo daquelas preferidas independentemente da época do ano.

Muitas vezes a falta de tempo acaba levando a uma alimentação inadequada e pouco nutritiva. Contudo, já vimos que é possível manter a rotina alimentar com congelados. Refeições preparadas nos finais, congeladas em porções, podem ser consumidas durante a semana toda.

Famílias menores ou quem mora sozinha, congelar pode ser a melhor opção. O mais indicado é para legumes e carnes, preferencialmente já cozidos, que podem ser preparados em maior quantidade e variedade, para depois serem separados e divididos em porções. Evite descongelar e congelar novamente, o que pode permitir contaminação.

Para acertar na combinação, lembre-se: uma refeição colorida e variada sempre será uma oferta maior de vitaminas, minerais e outros nutrientes que uma pessoa precisa. Isso contribui para a promoção da saúde e qualidade de vida.

Quer mais dicas de alimentação saudável? Acompanhe as novidades do Cooper Gente e conheça o nosso conteúdo, como a importância de alguns alimentos contra sintomas da depressão e também temas relacionados, como a importância da educação financeira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *