Como os dois sistemas do cérebro influenciam nas relações

Você já parou para pensar que nosso cérebro é dividido em dois sistemas? Um é intuitivo e rápido e o outro é o de raciocínio e lento. Estes sistemas interagem entre si e essa interação é responsável por nossas decisões. Quais os benefícios e riscos que estes sistemas proporcionam para os indivíduos? O autor Daniel Kahneman, autor do livro “Rápido e Devagar: duas formas de pensar”, chama de Sistema 1 e Sistema 2, representando respectivamente o pensamento rápido e devagar.

O Sistema 1, intuitivo, é mais influente do que sua experiência lhe diz que é. É o autor secreto de muitas das escolhas e julgamentos que fazemos. O Sistema 1 opera automático e rapidamente, com pouco ou nenhum esforço. Já o Sistema 2 aloca atenção às atividades mentais laboriosas, muitas vezes ligadas a cálculos complexos, associações com experiências subjetivas de atividades, escolha e concentração.

Quando pensamos em nós mesmos, nos identificamos com o Sistema 2, o eu consciente, raciocinador, que tem crença, faz escolhas a respeito de algo. O Sistema 1 é automático, originando, sem esforço, as impressões e sensações que são as principais fontes de crenças explícitas e escolhas deliberadas pelo Sistema 2.

O sistema intuitivo e rápido do cérebro interage com o sistema de raciocínio e lento por meio da complexidade das atividades, em que o lado intuitivo e rápido consegue resolver equações simples, como 2+2 são 4, responder às impressões físicas e faciais com pré-julgamento, entre outras respostas automáticas, que exigem pouco ou nenhum esforço, ou também atividades mentais que se tornam rápidas e automáticas por meio da prática alongada. Já as atividades executadas pelo Sistema 2 têm uma característica em comum: exigem atenção e são interrompidas quando a atenção dada não é a devida. São atividades que precisamos prestar atenção para sair bem delas.

Os dois Sistemas estão ambos ativos sempre que estamos despertos. O Sistema 1 funciona automaticamente e o Sistema 2 está, normalmente, em um confortável estado de pouco esforço. Portanto, o Sistema 1 gera continuamente sugestões para o Sistema 2; impressões, intuições, intenções e sentimentos. Se endossados pelo Sistema 2, impressões e intenções se tornam crenças e empecilhos tornam-se ações voluntárias.

Os benefícios que proporcionam o Sistema 1 e 2 estão ligados à Inteligência, Controle e Racionalidade. Os pesquisadores descobriram que treinar a atenção melhora o controle de execução e acertos em testes de inteligência não-verbais. Os riscos da interação entre os dois sistemas estão ligados a conclusões precipitadas ou pré-julgamentos, como acreditar e confundir. O Sistema 2 às vezes encontra-se ocupado e é mais preguiçoso, nesses momentos somos capazes de acreditar em quase qualquer coisa, porque o Sistema 1 é crédulo e propenso a acreditar.

A evidência mostra que as pessoas têm maior probabilidade a serem influenciadas por mensagens vazias, como comerciais de TV. Outro fator de risco é o efeito halo: os traços iniciais de uma lista, por exemplo, mudam o próprio significado dos traços que aparecem depois. A sequência em que observamos as características de uma pessoa, muitas vezes, é determinada pelo acaso, porém o efeito halo aumenta o peso das primeiras impressões.

Os julgamentos acontecem porque não há limites das perguntas que podemos responder. As perguntas são dirigidas ao Sistema 2, que vai dirigir a atenção e fazer uma busca na memória para encontrar as respostas. O Sistema 2 recebe as perguntas ou as gera. O Sistema 1 opera de modo diferente: ele monitora o que está fora e dentro da mente, gerando continuamente avaliações dos vários aspectos. Desta forma, entendemos que os riscos estão ligados a julgamentos e conclusões precipitadas, gerando grandes problemas na sociedade e nos relacionamentos interpessoais. Aprender a identificar quando o Sistema 1 está trabalhando mais do que o Sistema 2 é essencial para que as relações não sejam afetadas por pré-julgamentos, gerados pela interação entre Sistema 1 e Sistema 2.

2 comentários em “Como os dois sistemas do cérebro influenciam nas relações
  1. Guilherme

    Excelente texto! Vale a pena ler.

    Responder
  2. Cintia Cezario

    Maravilha de conteúdo, quando entendemos melhor sobre nossas capacidades funcionais, temos maior acertividade em nossa vida como um todo. Gostei muito.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *