Gestão de pessoas: a importância da gestão de riscos no capital humano

Você deve estar se perguntando ao ler o título deste artigo: o que a área de riscos tem ou pode ter haver com o capital humano ou com a área de RH? Então vou explicar sob a minha perspectiva (visto que sempre fui da área dos números e finanças sobre recursos humanos).

Minha vida toda eu me vi como uma pessoa totalmente inclusa no mundo dos números e gráficos, até mesmo em lugares que trabalhei, pois sempre me envolvi com planilhas, processos, despesas, receitas e etc. Sempre fui muito analítico e sempre foquei em resultados individuais, porém foi em um treinamento de liderança que comecei a me questionar sobre a gestão de riscos.

Números e pessoas?

Sei que para saber se uma empresa está bem precisamos olhar os números, mas de onde vêm esses números? Na verdade os números são meramente o resultado produzido por meio do esforço ou trabalho de uma pessoa, seja esse número algo positivo ou negativo.

Além disso, comecei a me questionar sobre porquê as pessoas trabalham onde trabalham ou porquê são tão boas no que fazem, e encontrei essa resposta no ”DISC”, uma ferramenta de análise de perfil comportamental.

Lá estava eu, uma pessoa que sempre trabalhou com números, auditor e gerente de riscos, intrigado com um assunto totalmente humano. E apesar de existirem as diferenças entre ciências humanas e ciências exatas, o que se tem por trás da análise comportamental possui racionalidade e pode explicar o porquê de várias coisas, por exemplo: por que algumas pessoas ficam tão esgotadas durante o trabalho? Por que alguns são tão técnicos, calmos, acelerados? E entre outras coisas.

Hoje, mesmo estando em uma área que é totalmente analítica, eu vejo o real valor de se analisar o comportamento das pessoas. Quando sabemos nossos pontos fortes, bastamos trabalhar nossos pontos fracos, no caso de gestores, estes devem buscar em sua equipe elementos que compensem esse ponto fraco ou faça sinergia com as competências já existentes.

Como obter sucesso?

Mas como posso fazer isso? Primeiro que podemos afirmar que não existe uma pessoa que seja capaz de fazer tudo com perfeição, é por isso que devemos buscar pares que sejam complementares em nossas equipes, conseguindo colocar as pessoas certas nos lugares certos, maximizando a produtividade, vindo a ter como consequência o aumento dos ganhos da organização.

A partir do momento que descobri e entendi esse nicho, me dei conta de que o capital humano também possui riscos e oportunidades, e que por mais que pessoas não sejam números, elas são o caminho para que o próprio ocorra no final do dia.

Portanto, o resultado financeiro é importante sim, porém ele pode ser aumentado exponencialmente quando entendemos o perfil comportamental de uma tarefa e selecionamos a pessoa certa para tal, pois as pessoas devem trabalhar em tarefas e posições que elas possam agir com sua própria natureza, realizando, o que podemos dizer como sendo o que é nato de sua própria personalidade.

No final do dia a frase ”empresas são feitas de pessoas” nunca fez tanto sentido para mim quanto agora.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *